Notícias e Destaques Da exclusão, ao papel principal

Pessoas diagnosticadas com câncer são facilmente excluídas do meio corporativo. Pessoa idosas, igualmente. A solução então, é reinventar. Aldo Mattar, foi diagnosticado com mieloma múltiplo aos 50 anos e além da doença, estava excluído do mercado de trabalho por conta da idade.

Enfrentando uma doença, com renda instável para o sustendo da esposa e de dois filhos sendo um deles portador da síndrome de Rubinstein Taiby, Aldo precisava de uma solução.

Em um momento de oração, ele sentiu que a saída para os problemas financeiros estava dentro de sua casa. 

Após um período de buscar na internet, Aldo descobriu que era possível ganhar dinheiro com conteúdo na internet. Mas como ele faria isso? O que parecia improvável aconteceu. A ideia surgiu quando percebeu que Waguinho, portador da síndrome da síndrome rara se comunicava muito bem e é muito extrovertido.

A primeira experiência foi através de uma gravação de celular e ele conta que foi genial: “simplesmente genial! Ele se saiu muito bem e muito expansivo”, resolveu então dar início a esta aposta e criar um canal no Youtube.

Então nasceu o programa “SER LEGAL É O CANAL”. Um projeto para falar das coisas legais da vida.

Depois da publicação no YouTube, dois canais de TV da NET (em Santa Catarina e Rio Grande do Sul) se ofereceram para exibir o programa, criamos uma página no Facebook e Instagram.  O trabalho ganhou apoiadores e começamos a ter patrocínios para o sustento pessoal e manutenção do projeto. Depois surgiu a ideia de vender camisetas e chaveirinhos personalizados com a logo do Canal do Waguinho, o que aumentou a fonte de renda.

 

Ano passado, 2018, o canal do Waguinho foi contatado por um empresário de Florianópolis e doou uma KOMBI para a locomoção da família para as gravações.

Com muita determinação, participação de ações voluntárias, programas de TV, hoje, quatro anos após a criação do canal, a família recebe doações e garante o sustento por meio do trabalho digital.

 

Aldo Mattar é um exemplo de empreendedorismo, mesmo quando a exclusão de pessoas com câncer ainda é uma realidade no mercado de trabalho.