Notícias e Destaques Que tal algumas dicas de como enfrentar as consequências psicológicas causadas pela pandemia?

A pandemia do novo coronavírus tem afetado diversas áreas da nossa vida e trouxe muitas incertezas. A doença tem gerado estresse e pressão psicológica por causa de todas mudanças que ocorreram, como distanciamento social e lidar com o risco de contaminação. 

Foi percebido que pessoas que estão no grupo de risco têm apresentado preocupação excessiva e medo por causa do risco de contraírem covid-19. Também houve relatos de pessoas dos grupos de risco que já apresentavam sintomas de ansiedade e depressão que tiveram agravamento destes sintomas durante a pandemia. Assim como a descoberta de um diagnóstico tem uma fase de adaptação para o sujeito lidar com a doença, lidar com o risco de contágio funciona de forma semelhante, pois é necessário compreender essa nova situação e suas consequências - processo que é acompanhado de muitas incertezas.

Pensando nessas adversidades, o Departamento de Saúde Mental da OMS elaborou um guia que traz dicas à população geral de como enfrentar as consequências psicológicas causadas pela pandemia. As dicas apresentadas pela OMS são:

1- Verifique a quantidade e a qualidade das informações. Evite o "bombardeio de informações". É natural se preocupar, porém é necessário estar atento se tem ocorrido de forma excessiva. Busque informação de fontes confiáveis, como website da Organização Mundial da Saúde e autoridades locais, pois notícias falsas podem agravar a preocupação excessiva, angústia ou ansiedade. Os fatos podem ajudar a minimizar o medo.

2- Use as redes sociais como aliadas. Durante o isolamento social, as redes sociais podem auxiliar para reduzir o distanciamento afetivo entre as pessoas. Ligações, chamadas de vídeo ou troca de mensagens com pessoas queridas são meios que podem ser utilizados.

3- Seja solidário. Verifique se é possível ajudar alguém de alguma forma, como oferecendo auxílio nas compras de supermercado ou farmácia às pessoas que são grupo de risco, ou verificando se pessoas que estão sofrendo com isolamento desejam conversar. A assistência aos outros é benéfica tanto para quem é ajudado como para quem oferece a ajuda.

4- Preste atenção em suas necessidades e sentimentos. Reflita se o que tem sentido é o que você espera dentro do contexto atual ou se está excessivo. Sentir medo, angústia, ansiedade ou preocupação é natural, mas se esses sentimentos estão interferindo na sua rotina, é um sinal de alerta - nesses casos, pode ser interessante a procura de um profissional, como psicólogo ou psiquiatra. Além disso, busque manter uma rotina e respeitar os horários das refeições e de dormir.

5- Compartilhe histórias positivas, se possível, como as de pessoas que se recuperaram do covid-19.

6- Por último, o reconhecimento do trabalho dos profissionais de saúde também se faz importante, pois, além de apreciar o papel dos profissionais no enfrentamento da pandemia, é importante lembrarmos de quem está trabalhando para nos manter seguros.

Além dessas dicas, é importante ressaltar a importância de dialogar com a Equipe de Saúde. Pessoas do grupo de risco que realizam acompanhamento hospitalar devem sempre tirar suas dúvidas com os profissionais de saúde, pois dessa forma é possível elaborar estratégias de proteção contra a covid-19. Apesar do medo e insegurança, aquilo que é feito para proteção e prevenção deve ser considerado, pois estas atitudes são formas de lidar com esses sentimentos.

Nesse momento de incertezas, ter informação de qualidade e buscar saídas coletivas são as melhores formas para elaborar estratégias de enfrentamento. Principalmente durante a pandemia, devemos buscar exercer a solidariedade e coletividade, pois todos são atores fundamentais para encararmos essa situação.