Notícias e Destaques Você sabe quais são as linhas de tratamento do mieloma múltiplo?

Você sabe quais são as linhas de tratamento do mieloma múltiplo? Quais os critérios para aplicar o TMO?  A International Myeloma Foundation Latin America perguntou para o Dr. Edvan Crusoe, hematologista Membro do Comitê de Gamopatias da ABHH - Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, Membro da International Myeloma Society e do International Myeloma Working Group e Hematologista do Hospital Universitário da Universidade Federal de Bahia, e da Rede D´or Oncologia.

 

Confira:


 

IMF Latin America: Como são divididas as linhas de tratamento para o mieloma múltiplo?  

Dr. Edvan: Primeira linha, segunda e assim sucessivamente. Na indicação terapêutica o paciente será avaliado e definido se poderá ser submetido a quimioterapia em altas doses(TMO) ou não. Essa é a primeira linha. Hoje em dia os tratamentos são definidos por tempo prolongado ou por tempo indeterminado até próximo retorno de atividade de doença. cada linha será composta de determinado tratamento(combinação quimioterápica) e pelos critérios da iMWG pelo menos dois ciclos de determinado tratamento para determinar uma linha! 

IMF Latin America: Quais são os critérios para aplicar o TMO?

Dr. Edvan: Geralmente pacientes com bom performance clínico, poucas comorbidades e pela lei atual até 75 anos de idades, mas sabemos que poucos pacientes conseguiram fazer TMO depois dos 65 anos, e além disso dependendo do acesso a novas drogas, haverá uma equivalência de respostas a quimioterapia isolada e pacientes que fazem TMO, ou seja, mais chance de não fazer o TMO por termos boas drogas.

IMF Latin America: No caso do pacote ser refratário, como continuar o tratamento? 

Dr. Edvan: Refratariedade é quando o paciente não responde ao tratamento (não tem resposta mínima), ou  progride a doença em vigência do tratamento depois de ter tido algum grau de resposta ou até dois meses após parar algum tratamento. A questão é que teremos cada vez mais pacientes em tratamento contínuo, e ai veremos progressão em alguns tratamento de manutenção, o que determina que esse paciente, a grosso modo, tenha refratariedade àquele tratamento. 

Por vezes teremos pacientes progredindo como refratários, mas que necessariamente não necessitem modificar o tratamento imediatamente!